Blog

Tudo o que precisa saber sobre substratos

Tudo o que precisa saber sobre substratos

Os sistemas que utilizam a fertirrigação com substratos são utilizados por produtores pelo país inteiro. Seja pela facilidade de manejo ou pela economia, utilizar estes materiais que não interferem na qualidade (e composição) dos produtos é uma vantagem e tanto para a produção e para o produtor.

Pensando nisso, preparamos este artigo onde explicamos tudo o que precisa saber sobre os substratos. Continue a leitura!

Substratos: Eficiência e melhores resultados

A técnica de fertirrigação utilizando substrato consiste em utilizar materiais inertes (que não fornecem nenhum nutriente à planta) de origem natural ou mineral para fornecer sustentação radicular às plantas. Então, para culturas que têm o sistema radicular e parte aérea mais desenvolvidos, essa é uma excelente alternativa. 

Além disso, um dos benefícios da utilização desses materiais é que além deles estarem livres de agentes patogênicos, protegem as raízes contra a luz e permitem um maior controle no desenvolvimento da planta.

Mas, você sabe como escolher os substratos?

Os materiais utilizados podem ser de origem natural ou mineral e devem garantir um bom arejamento das raízes. 

E, para ser considerado ideal, um substrato deve apresentar características como:

– Alta capacidade de retenção de água;

– Decomposição lenta;

– Deve ser neutro, ou seja, não deve influenciar no pH da solução nutritiva;

– Deve ser fácil de remover;

– Não deve apresentar riscos à saúde das plantas;

– Deve manter a aeração para que as raízes não fiquem submetidas a baixos níveis de oxigênio.

substratos hidroponia

Conheça a seguir os principais tipos de substratos utilizados

Lã de rocha

Obtida a partir da fusão de basalto puro (rocha vulcânica) a temperaturas altas (1500°C), é o mais popular entre os produtores que utilizam o sistema de fertirrigação com substrato. 

É possível encontrá-la em formatos diferenciados, como cubos, peças e fragmentos esmagados e possui muitas vantagens: neutralidade, boa aeração e capacidade de reter água.

Todavia, esta não é ecológica. Fator que vem influenciando os produtores a trocarem o material por outro. 

Além de ser prejudicial à saúde, pois partículas muito pequenas acabam sendo respiradas e se acumulando nos tecidos pulmonares, também é nociva para o meio ambiente, já que não é de fácil degradação. Então, vale a pena considerar substituir este por substratos mais limpos e ecológicos.

Argila expandida

A argila expandida é muito utilizada no paisagismo para decorar vasos. As bolas têm uma estrutura estéril e retém uma grande quantidade de oxigênio e umidade, fatores essenciais para manter as raízes das plantas saudáveis.

Como possuem vários tamanhos, é importante entender que o tamanho importa, sim. Por exemplo, a menor delas (2 mm) tem mais capacidade de capilarização. Já a maior (24 mm) funciona melhor na drenagem do sistema.

Elas são fáceis de limpar e podem ser fervidas em água ou deixadas de molho durante a noite numa solução para serem limpas. 

Além disso, as argilas expandidas são recicláveis e, quando não mais usadas no sistema de fertirrigação, podem ser utilizadas no jardim ou decoração de vasos. 

Todavia, elas têm pouca capacidade de retenção de água quando comparadas com outros substratos. Por isso, o ideal é misturá-las com outros substratos, como o pó de coco, para aumentar a retenção e a capacidade de troca catiônica.

Fibra de coco

Lançada como um substituto para a lã de rocha, a fibra de coco é um tipo de substrato que além de ter boa retenção de água, tem capacidade de troca catiônica. 

É possível encontrar as fibras de coco de duas formas: a tradicional, em forma de blocos compactos de pó de coco, fibra longa, pó de coco ou chips, ou em forma de cubos e placas. Estes possuem uma retenção de água mínima, porém, tem ótima capacidade de drenagem e aeração. 

Perlita

A perlita é um dos substratos mais populares. Consiste em um mineral de origem vulcânica que se expande no processo de aquecimento, criando poros e diminuindo a relação de volume e peso. Consequentemente, favorece a aeração do substrato.

Este material possui muitas propriedades benéficas para quem produz em substrato, uma vez que impede a compactação, ou seja, melhora a aeração e drenagem, estimula a iniciação da raiz, isola e minimiza as flutuações de temperatura, tem pH quase neutro e mantém a umidade sem ficar encharcada. 

Entretanto, a perila possui o mesmo problema de decomposição da lã de rocha. O seu pó faz mal ao sistema respiratório e não se degrada, acumulando em lixões.

Vermicultura

Este material é feito a partir de minerais laminares hidratados e seu processo é semelhante ao da perlita.

Quando usada em sistemas de fertirrigação como substrato é, muitas vezes, misturada com a perlita para que diminua um pouco a sua retenção de água e melhore a aeração e drenagem. 

Como ela tende a quebrar-se após um período de tempo, é mais indicada para culturas de curto prazo, como a alface.

Hoje encontramos muitas opções de substratos, por isso, saber fazer a melhor escolha é fundamental para obter uma produção de qualidade.

Atente-se às principais características e às necessidades da sua plantação ao fazer a escolha.

Bons cultivos ;)

Gostou deste artigo? Separamos alguns artigos que lhe podem interessar: