Blog

Orientações para o produtor iniciante

Orientações para o produtor iniciante

É comum o produtor hidropônico iniciante encontrar alguns desafios e dúvidas ao começar o seu cultivo. Neste cenário, são raras as pessoas que adquirem conhecimento e realizam um planejamento adequado para a produção e comercialização de alimentos hidropônicos, indica o professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) - Brasil - Dr. Dimas Menezes. Para contribuir para o sucesso desses profissionais, Menezes, diz-nos algumas dicas.

Manutenção e higiene

Conhecimento e planeamento nunca são demais, mas não devem ser esquecidos. Alguns cuidados preventivos devem ser lembrados e executados diariamente. Esse é o caso da manutenção da higiene em todas as etapas do processo produtivo. “Deve-se observar eventuais manifestações iniciais de pragas e doenças, bem como sintomas de deficiência de nutrientes e luminosidade na planta”, diz Menezes.

Na sementeira

É difícil encontrar um hidroponista que não tenha enfrentado alguma dificuldade no processo produtivo, alerta o consultor. A dica para o bom desenvolvimento da produção é obter mudas sadias. Menezes explica que a proliferação de algas, fungos e líquens no substrato da sementeira, seja na espuma fenólica, fibra de coco ou outro material em uso, é uma constante, especialmente nas regiões com clima mais quente.

Diante deste cenário, o consultor frisa que, tanto no ambiente em geral da maternidade, quanto com os materiais diretamente utilizados no processo produtivo, a limpeza é o requisito mínimo para a obtenção de mudas de qualidade. “Para maior segurança, pode-se lançar mão de produtos biológicos ou químicos registrados para uso em sementeiras das espécies a serem propagadas”, complementa.

Na bancada final

Na bancada final, Menezes reitera a questão da higiene como a chave do sucesso do cultivo. “Vários produtos de limpeza estão disponíveis. Uns são baseados no poder esterilizante do cloro e outros à base de ácidos. Assim, as doenças radiculares não encontram ambiente para a sua proliferação”, explica. Contudo, o consultor alerta que tratamentos químicos ou biológicos após a instalação de fungos ou bactérias são pouco eficientes e, em algumas vezes, perigosos e caros.

Combate a pragas comuns

Menezes explica que algumas das pragas são mais comuns no ambiente protegido, onde encontram a condição ideal para proliferação. Esse é o caso de lagartas, pulgões, larvas minadoras, tripes e ácaros. “Por isso, é fundamental que o monitoramento e controle através de armadilhas luminosas, iscas, placas adesivas e controlo biológico faça parte da rotina do agricultor. Mais importante ainda é a observação diária de cada unidade produtiva. Qualquer anormalidade precisa de cuidados imediatos”, diz o consultor.

Maior investimento é o conhecimento

O produtor iniciante, sem experiência de cultivo, seja no sistema hidropónico ou no campo, sempre acredita que pode fazer modificações para baratear a construção das estufas ou das bancadas de cultivo.

Porém, Menezes diz que só após conhecer os desafios inerentes ao sistema e, por vezes, enfrentar prejuízos, é que o produtor descobre porque muitos dos outros colegas de setor têm sucesso. “O êxito na Hidroponia vem pelo conhecimento e pela experiência no cultivo, que são adquiridos nos livros, nos encontros técnico-científicos com especialistas e produtores, nas visitas a outros hidroponistas e na busca por informações em todos os meios de comunicação. Não existem segredos, existe apenas o trabalho constante e a adoção de técnicas atualizadas”, sentencia Menezes.

Tecnologia em evolução constante

O consultor frisa que a automação, através do uso de temporizadores para o fornecimento de nutrientes, é a base do cultivo hidropônico. Variáveis como a condutividade elétrica, a monitorização e correção do pH e, um pouco mais à frente, a monitorização e correção do teor de cada nutriente são objetivos já alcançados pelos produtores mais técnicos. “Ainda tem muito a ser desvendado quanto às exigências das culturas com relação à luminosidade, à qualidade da luz ofertada e ao controle de inúmeros fatores que podem influir no desenvolvimento das plantas sob cultivo hidropônico. Mesmo assim, com a tecnologia disponível, o cultivo hidropônico mudou a cara da produção de hortaliças no Brasil e no mundo”, finaliza Menezes.