Blog

Medidas preventivas em Hidroponia

Medidas preventivas em Hidroponia

Adequar  vários procedimentos na atividade é uma das regras básicas para o produtor obter sucesso e manter a alta qualidade do seu cultivo hidropônico. Entretanto, nem sempre é fácil identificar as vulnerabilidades do trabalho realizado dentro da estufa.

A entrevista realizada com o pesquisador do Instituto Agronómico de Pernambuco (IPA)- Brasil, Dr. Júlio Mesquita  foi buscar  algumas respostas para questões comuns ao cultivo sem solo. Dos quais:

Quais são os principais patógenos e problemas que o produtor pode encontrar no cultivo hidropônico?

Especialmente com temperatura, luminosidade e umidade elevadas, muitos patógenos são mais frequentes no sistema de produção hidropônico. E ai se destacam os que causam podridões radiculares, como os fungos do gênero Pythium spp.. Esses fungos são transmitidos por mudas infectadas e pela água utilizada na preparação da solução nutritiva. Associados a temperaturas elevadas, esses patógenos vem causando sérios prejuízos na produção.

Outro problema a ser observado nas áreas de cultivo sem solo é a presença de insetos, principalmente tripes e mosca minadora (Liriomyza), que são favorecidos pelas condições apropriadas de temperatura e umidade no interior das estufas. No entanto, a instalação de armadilhas adesivas e produtos biológicos tem auxiliado muito no controle destas pragas.

Quais são os cuidados fundamentais que todo o produtor deve ter?

Ter uma muda de boa qualidade é um bom começo. Costumo sempre dizer que a sementeira é o coração da horta. Um bom começo é o primeiro passo para se chegar ao bom fim. A qualidade da água a ser utilizada é um fator de grande importância também. Caso seja de rio, é necessário um eficiente sistema de filtragem, com filtros de areia e de discos.

A higienização dos perfis, caixas de solução nutritiva e tubulação devem ser periódicas, após a colheita e antes do plantio. É importante também adotar medidas que contribuam para a diminuição da temperatura no interior das estufas. Isso é possível com a utilização de filmes que selecionam o comprimento de ondas luminosas e favorecem a fotossíntese, além de reduzirem a temperatura. Outra alternativa seria o uso de malhas termorrefletoras, que diminuem a entrada de radiação infravermelha, ou seja, de calor.

A utilização de cultivares adaptadas às condições locais é primordial, pois não podemos produzir sem levar em consideração a relação genótipo versus ambiente.

Como podemos observar, não é um único fator que fará a diferença para que o hidroponista alcance sucesso na sua produção, pois isso é o resultado de um conjunto de fatores que a observação e o bom senso no dia a dia irão mostrar.

Geralmente, qual é o erro mais comum relacionado ao tema que um hidroponista iniciante comete? E como evitar?

O maior erro é acreditar que nunca terá problemas. E, assim, descuida-se dos pontos mencionados anteriormente e, quando aparecem as dificuldades, é mais difícil de encontrar a solução. Tenho observado muitos produtores hidropônicos que, diante dos obstáculos, vão em busca de resolver as dificuldades de forma equivocada, sem focar no objetivo. Sob esse cenário, as ações adotadas correm o risco de não controlarem efetivamente o respectivo problema. A orientação de um técnico experiente é a melhor decisão que se pode tomar, pois uma análise criteriosa da situação é a base para um planeamento para controlar a solução da questão.

Quais são os avanços que o setor hidropônico apresentou nos últimos anos em relação a esse tema?

São vários os avanços apresentados nos últimos anos no setor de produtos para Hidroponia, como é o caso dos perfis de cultivo, que vêm se modernizando constantemente. Hoje, por exemplo, temos perfis de dupla camada, fabricados para reduzir a incidência de luminosidade e calor no sistema.

Por sua vez, o grande número de empresas que comercializam adubos solúveis tem favorecido em muito o produtor, que encontra mais opções de escolha. No caso do surgimento de produtos biológicos para controle de pragas e doenças, tem trazido benefícios extraordinários para adequar ainda mais a produção aos princípios de sustentabilidade. Poderíamos elencar diversos outros avanços que contribuíram para o avanço do setor, porém acredito que esses são os mais mencionados pelo setor

O que é necessário melhorar?

Sempre temos algo a melhorar. Quando julgamos que atingimos o ponto máximo, estacionamos e paramos com a caminhada. Atualmente, a produção em sistema hidropônico não é uma realidade somente das regiões Sul e Sudeste do Brasil, mas encontra-se disseminada em todas as regiões do Brasil. Porém, as empresas que comercializam produtos destinados a esta atividade estão distantes das regiões Norte e Nordeste, fazendo com que os produtores destas regiões tenham que aplicar mais recursos para investirem no cultivo sem solo.

A formação dos técnicos é outro ponto importante. Precisamos que os cursos de Hidroponia se regionalizem para possibilitar uma maior participação dos profissionais da área e demais interessados em iniciar no segmento.

Bons cultivos ;)

Gostou deste artigo? Separamos alguns artigos que lhe podem interessar: