Blog

Fósforo: um elemento importante para as plantas

Fósforo: um elemento importante para as plantas

Na frente de cada garrafa de fertilizante, há três números que indicam quanto nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K) contém, também conhecido como NPK. Estes são macronutrientes e são essenciais para o crescimento das plantas, mas o que exatamente eles fazem pelas nossas plantas e por que são tão importantes? Vejamos o segundo número, fósforo, e por que é essencial que suas plantas prosperem.

O que é fósforo?

O fósforo é um elemento químico com o número atômico 15. É altamente reativo e é encontrado em ATP, DNA, RNA, fosfolipídios e crosta terrestre. A maioria dos fosfatos extraídos é usada em fertilizantes, mas também são ingredientes em detergentes, pesticidas e agentes nervosos.

Para as plantas, o fósforo é considerado o segundo nutriente mais essencial após o nitrogênio e é responsável por uma ampla variedade de funções biológicas. Ela desempenha um papel crucial em ajudar as plantas a capturar e armazenar energia do sol durante a fotossíntese, convertendo ADP (difosfato de adenosina) em ATP (trifosfato de adenosina).

O fósforo é um componente vital do ATP. O ATP é um produto químico encontrado em todos os seres vivos que armazena e transfere energia. É frequentemente chamada de "moeda da energia" e funciona como dinheiro no banco, armazenando energia para reações futuras ou retirando energia para pagar pelas reações exigidas pelas células. O ATP fornece energia para conduzir muitos processos diferentes e reações bioquímicas, do crescimento das mudas à colheita.

O fósforo é essencial para estimular a produção e o crescimento das raízes, frutificação e floração, formação de sementes, divisão e multiplicação celular e transporte de nutrientes. É um componente estrutural importante do DNA e ajuda na transferência genética, melhora a resistência à seca e a temperaturas baixas, aumenta a força do caule e do caule e aumenta a resistência a doenças de plantas. Sem fósforo suficiente, você obterá uma planta com crescimento atrofiado, maturidade atrasada e um rendimento menor.

Prevenção e tratamento de deficiências

O conteúdo de fósforo no solo pode variar consideravelmente, variando de 0,04% nas costas do Atlântico e Golfo a 0,3% no noroeste dos Estados Unidos. A quantidade de fósforo no solo é influenciada por muitos fatores, incluindo o material do qual o solo foi derivado, condições climáticas, quantidade de intemperismo e erosão, bem como remoção e fertilização das culturas.

A melhor maneira de evitar uma deficiência de fósforo é testar seu solo em um laboratório respeitável e alterá-lo, se necessário. As fontes de fósforo para o seu jardim incluem esterco, farinha de ossos, fosfato de rocha e fertilizantes fosfatados. O esterco de galinha é particularmente rico em fósforo.

A disponibilidade de fósforo é outro fator importante a considerar. Só porque o fósforo aparece em um teste de solo não significa que ele esteja disponível para suas plantas. O pH, a temperatura, a umidade e a compactação do solo afetarão as taxas de absorção.

O pH ideal do solo deve estar entre 6,0 e 7,0 para obter a máxima disponibilidade. A adição de cal aumentará o pH do solo ao longo do tempo, se necessário. A baixa temperatura do solo, a umidade excessiva e a compactação do solo diminuirão a disponibilidade.

O crescimento radicular pode ter um grande impacto na absorção de fósforo. Como o fósforo é muito imóvel no solo, é importante que as raízes da planta possam crescer através do solo para encontrar o fósforo necessário. É importante considerar todos os fatores que afetam o crescimento radicular, se você não deseja ter uma deficiência.

Mesmo que seu solo tenha altos níveis de fósforo, solo compactado, danos a herbicidas e insetos que alimentam as raízes podem diminuir o crescimento radicular e reduzir drasticamente a capacidade de uma planta de absorver fósforo. O ambiente do solo no início da primavera, com temperaturas frias e solo alagado, pode fazer com que as raízes cresçam lentamente. Por esse motivo, muitos jardineiros descobrem que as mudas jovens podem se beneficiar de uma fertilização extra inicial quando plantam, mesmo que os níveis de fósforo no solo sejam altos.

Aumente a disponibilidade de fósforo com micróbios benéficos

Os microorganismos são essenciais para garantir que suas plantas obtenham fósforo suficiente. O solo que contém uma população saudável de bactérias e fungos benéficos promoverá um forte crescimento radicular, para que haja mais área de superfície para a absorção de nutrientes. Esses micróbios também decompõem formas indisponíveis de fósforo em formas disponíveis nas plantas.

As bactérias solubilizantes de fosfato (PSB) foram introduzidas na comunidade agrícola como biofertilizante de fosfato e comprovadamente melhoram a absorção de nutrientes e reduzem o uso de fertilizantes sintéticos e pesticidas. Três cepas de bactérias, em particular, provaram ser benéficas: Pantoea agglomerans, Microbacterium laevaniformans e Pseudomonas putida. Pesquisadores da Universidade Estadual do Colorado mostraram que várias cepas de bactérias solubilizam o fósforo de maneira mais eficaz do que qualquer uma.

Você pode aplicar o PSB inoculando sementes antes do plantio, através da fertilização e em soluções de nutrientes hidropônicos. Chá de adubo e adubo são maneiras adicionais de aumentar as comunidades microbianas em seu solo, embora se você quiser as cepas de PSB, precisará comprar um inoculante micorrízico com as cepas específicas incluídas.

O fósforo é essencial para plantas saudáveis ​​e vibrantes e com rendimentos máximos. Ele impulsiona a produção e o armazenamento de energia, que é a base de praticamente todas as reações e processos químicos ao longo da vida útil de uma planta. Com essas técnicas básicas, você pode garantir que seu jardim sempre terá uma fonte disponível de fósforo e prosperará.

Bons cultivos ;)

Gostou deste artigo? Separamos alguns artigos que lhe podem interessar: