Blog

Como cultivar plantas ornamentais em Hidroponia?

Como cultivar plantas ornamentais em Hidroponia?

Já pensou cultivar flores e ervas sem precisar de utilizar terra? Com a Hidroponia isso é possível. Além de ser utilizada na agricultura, principalmente na produção de hortaliças e frutos, a técnica hidropónica pode ser utilizada no cultivo de praticamente qualquer coisa: Brocolos, feijão, repolho, melão, agrião, pepino, beringela, pimentão, tomate, morango, mudas de árvores e inclusive plantas ornamentais, pois algumas espécies adaptam-se muito bem ao cultivo em água.

Apesar do cultivo convencional de solo ser o mais difundido neste tipo de cultivo, fatores de risco como a contaminação do solo, condições climáticas e pragas podem impedir que algumas espécies prosperem. Por isso, a hidroponia pode ser uma ótima opção, afinal, a planta não ficará em contato com o solo e estará livre desses riscos, além de utilizar, basicamente, um elemento, a água.

Para que a flor ou a erva cresça com um visual saudável e bonito, é recomendável utilizar nutrientes na água, criando uma solução nutritiva eficiente e que forneça todos os nutrientes para ela. Existe uma ressalva: A solução nutritiva utilizada nesse tipo de cultivo deve ser adaptada para a produção de ornamentais, uma mistura um pouco diferente da usada para o cultivo de hortaliças.

Além disso, para que a planta tenha sustentação no seu crescimento, é indicado utilizar substratos inertes que suportem tanto o crescimento radicular quanto a posição em que as flores ficarão. Os principais substratos inertes são: 

  • A casca de arroz carbonizada, muito utilizada na produção de gérberas;
  • A fibra de coco para gérberas e rosas;
  • Mistura de argila e areia – para bromélias;
  • Lã de rocha para cravos;
  • Brita para orquídeas.

No entanto, esta não é uma regra absoluta, já que existem diversas plantas que se conseguem desenvolver bem em soluções de apenas água e nutrientes.

flores hidroponia

Para os produtores que desejam expandir os seus negócios ou tentar novos produtos, já imaginaram um cultivo de flores em ambiente protegido? A escolha pode parecer ousada e alguns fatores devem ser considerados, como a distância entre o centro consumidor, pois essas plantas podem murchar rapidamente, mas antes de iniciar de fato as atividades de produção de flores e ervas é necessário procurar ajuda especializada. O objetivo é conhecer a estrutura do mercado e, a partir desse diagnóstico, definir qual ou quais espécies apresentam potencial de comercialização. Ou seja, para saber a viabilidade do negócio e se o investimento valerá a pena, é necessário não só um bom planeamento, como uma pesquisa de mercado.

Outro ponto que necessita de atenção ao iniciar a implementação de um cultivo de plantas ornamentais para comércio é a definição das espécies aptas para serem cultivadas. Cada espécie possui exigências distintas, por isso, é necessário conhecer todos os aspectos da espécie: Classificação botânica, variedades disponíveis no mercado, substrato adequado, necessidades nutricionais, principais pragas e doenças, procedimento de colheita, manuseamento pós-colheita, embalagem apropriada, durabilidade, além de entender sobre controlo do fotoperíodo e temperatura, podas de condução, indução floral e tipo de estrutura (melhor estufa, sistema, etc).

Conhecer bem o clima da região onde será feito o cultivo das plantas ornamentais também é um aspecto importante para escolher as espécies que mais se adaptam a estas condições. Plantas bem adaptadas ao clima são, geralmente, mais resistentes às pragas, doenças e variações ambientais, refletindo positivamente na produtividade.

Portanto, para produzir com qualidade e disponibilizar no mercado produtos que estejam de acordo com os padrões comerciais exigidos, o produtor deve estar constantemente atualizado e procurar sempre usar materiais de qualidade. 

Para um cultivo de flores e ervas em grande escala o produtor pode optar por utilizar calhas para produção em substrato. As calhas impedem que a solução nutritiva que percola pelo substrato caia diretamente no solo, fator que torna o ambiente húmido favorável para o desenvolvimento de doenças. 

Além disso, também torna possível a recolha da solução drenada, evitando que ela caia diretamente no solo, para não contaminar o lençol freático. O excesso recolhido pode ser enviado para outro reservatório, tratado e reutilizado, garantindo uma grande economia de nutrientes e tendo um impacto positivo nos gastos com a produção.

Se estiver a considerar produzir plantas ornamentais, saiba que existem algumas espécies que se adaptam melhor ao método hidropónico. Trouxemos alguma espécies com boa adaptação à hidroponia para o ajudar: Samambaias, Palmeiras, Coléus, Hera (Ficus Pumila), Maranta, Cróton, Monstera, Dracena, Ficus, Cheflera, Espada-de-são-jorge e Papiro, Confete, Bambu-da-Sorte, Ficus-Lira, Tradescantia, Colar-de-pérolas, Jibóia e Filodendros em geral, Costela-de-Adão, Aglaonema, Coleus, Schlumbergera, Tradescantia pallida, entre outras. 

Bons cultivos ;)

Gostou deste artigo? Separamos alguns artigos que lhe podem interessar: